5 Gamers entram na Web Summit...



A Web Summit veio para Portugal em 2016 com a promessa de trazer investimento, tecnologia e temas relevantes para discutir sobre inovação e tendências no mercado atual. As nossas Gamers Ana Mota, Carol Perina, Cátia Figueiredo, Cessari Beltrame e Vânia Silva decidiram, a título pessoal, viver por dentro a experiência do evento. No final, saíram de lá com ideias concretas sobre o seu potencial. Vamos conhecê-las:

Ana Mota

A experiência na Web Summit foi bastante positiva. O contacto com a tecnologia e as tendências futuras em diversas áreas é muito interessante. O efeito que realço do evento é fazer-nos pensar! Digo isto porque não nos “ensinam” nada. Apenas nos dão pequenos resumos do que se pensa em inúmeros temas relacionados com tecnologia e depois cabe-nos a nós seguir pelo caminho que pretendemos e investigar/pôr em prática o que faz mais sentido na nossa realidade. Uma vez que é um evento de tecnologia e que estamos numa empresa de software acabei, implicitamente, por retirar aprendizagens utéis. Voltei sobretudo com uma mente mais aberta para as consequências e os cuidados a ter com a tecnologia, bem como uma maior consciência da realidade que espera as empresas.

Carol Perina

Gostei muito dos conteúdos e do ambiente. Na Web Summit conseguimos estar por dentro das grandes preocupações e tendências. Por exemplo um tema que me interessa é a diversidade dentro das empresas, seja de género, racial ou outras dimensões que constroem esse conceito. Saí de lá a pesquisar quais as empresas que hoje têm publicamente esta meta e o que é que elas fazem para a atingir. Não chega as empresas colocarem a diversidade como um objetivo, é necessário criar métricas mensuráveis para atingir num período específico e tomar ações nesse sentido. 

E quando parece difícil alcançar a métrica, contratar assumindo que a pessoa ainda não está pronta, mas que a empresa a quer ajudar (com formação ou outro instrumento) num caminho conjunto para obter a diversidade de perfis desejada. Assim, as empresas acabam por mostrar o seu compromisso com a diversidade e a inclusão, dando um contributo real para um mercado mais diverso na sua região de intervenção. Cheguei do evento com mais perguntas do que respostas e acho isso muito interessante! Voltei para o meu dia-a-dia muito feliz por trabalhar em tecnologia e saber que faço parte do futuro-presente.

Cátia Figueiredo

Esta experiência permitiu-me contactar com temáticas importantes. São exemplo dessas temáticas as novas tendências e estratégias de marketing; a possibilidade da tecnologia ser – ou não - um fator de impulso à inclusão e diversidade; a sustentabilidade ambiental e as questões relacionadas com a privacidade/proteção de dados. Da minha participação no evento destaco a forma como o mesmo procurou ser inclusivo, ao integrar empresas em diferentes estágios de desenvolvimento e attendees/speakers com diversos backgrounds e interesses.

Senti ainda que houve uma clara tentativa de reduzir a desigualdade entre géneros nos participantes. Como exemplo, participei na Web Summit com um bilhete promocional da comunidade Women in Tech. Após a experiência, estou mais alerta para questões como, por exemplo, os novos modelos de trabalho, a flexibilidade e o seu impacto no trabalho; a importância de colocar o cliente no centro de todas as decisões de produto e a validação da premissa de que o erro é necessário para avançar e criar inovação.

Cessari Beltrame

A experiência foi muito enriquecedora, pois tivemos contacto com diversas empresas e tendências do mercado de tecnologia. O mais interessante foi ver que, no evento, há espaço para todos, desde a startup até à multinacional. Um momento que me marcou foi, por exemplo, quando eles levaram a palco três pessoas totalmente diferentes para falar sobre segurança e como os nossos dados estão a ser utilizados por este mundo fora. Essas pessoas foram Edward Snowden, Michael Kratsios (CTO do Governo dos EUA) e Margrete Vestager (Comissária Europeia para a Concorrência). Estar lá foi importante para percebermos como os mercados podem convergir e que todas as mudanças podem impactar-nos quando fazemos parte de um ecossistema de tecnologia!

Vânia Silva

A ida à Web Summit foi uma experiência muito positiva, pois permitiu conhecer um conceito novo. Durante o evento existem, em simultâneo, apresentações de empresas, startups, talks e partilha de conhecimento. As talks eram o meu objetivo principal pois senti que era aí que podia absorver mais da partilha de conhecimento e experiências, sendo que existiam muitas talks cujos temas me interessavam. No final, fiquei com uma visão muito mais alargada sobre a tecnologia, gestão de pessoas, experiência do cliente e novas tendências.

SHARE 
DECEMBER 03, 2019